SAÚDE ANIMAL

CÃES: PROBLEMAS GENÉTICOS

Por: Rogério Calçado Martins | Categoria: Saúde | 15-06-2017 20:06 | 1296
Foto de Reprodução

Originários dos "primos" lobos, os cães foram domesticados pelos homens e, com isso, foram obtendo procriação seletiva e controlada, proporcionando a criação das mais variadas raças caninas.
Da mesma forma que alteramos o tamanho dos cães, também alteramos seu comportamento, realçando certas características desejadas de determinadas raças quando as cruzamos ou até diminuir outras características indesejadas também. Ao agir assim, o homem criou uma espécie animal quase totalmente dependente dos seus cuidados.
Muitas das raças existem hoje em dia não pela sobrevivência delas próprias, mas sim devido ao capricho humano. O comprimento, densidade e coloração da pelagem, o tamanho do corpo, orelhas, caudas, olhos, quase tudo pode ser "planejado" geneticamente, ou seja, escolhendo-se os pais adequadamente de acordo com suas características genéticas.
Mas, atenção: agindo desse modo, misturando um leque vasto de raças, também criou-se problemas estruturais e de saúde. Os cães possuem mais doenças e distúrbios genéticos do que qualquer outra espécie animal domesticada no mundo!! E, muitas vezes, esses problemas genéticos são "perpetuados" pela falta de ética e de critérios de alguns criadores ou mesmo por pessoas leigas, que, sem nenhum tipo de orientação ou escrúpulos, cruzam esses animais "passando para a frente" esses problemas genéticos através das crias dessas matrizes, que, na verdade não deveriam procriar, evitando que esses defeitos genéticos continuem à se difundir.
Todos os Médicos-veterinários devem esclarecer seus clientes, donos de cães, para que possam entender que os cães não são apenas criaturinhas sensacionais, peludas e simpáticas, mas sim indivíduos que apresentam necessidades alimentares, de tratamento e necessidades de saúde que são diferentes da nossa espécie e específicas deles.
Praticar uma boa Medicina Veterinária não significa só tratar dos problemas quando estes ocorrem, mas sim proporcionar atos que favoreçam a prevenção de doenças. Portanto, cães dependem exclusivamente de nós para carinho, alimentação saudável e medicina preventiva eficaz.
Enfim, manter um cão como animal de estimação é uma alegria e um privilégio, mas também representa uma imensa responsabilidade. 
Independente se um cão pareça bonito e bem alimentado, se não tiver cuidados com a saúde e com o comportamento, poderá tornar-se uma "pequena bomba", pronta para explodir a qualquer momento. 
Felizmente, os Médicos-veterinários de hoje estudam e atualizam-se mais em Medicina Preventiva e também em interação homem-animal, aperfeiçoando-se sobre os valores comportamentais dessa relação e buscando soluções harmoniosas para tal convívio.
Manter seu animal saudável é essencial para que esse convívio seja perfeito. Os animais apresentam vários tipos de distúrbios, os quais aparecem em forma de sinais clínicos e físicos de acordo com o sistema do corpo que está atingido, e existem informações sobre o reconhecimento e o tratamento desses problemas que somente um tipo de profissional tem: o Médico-veterinário.
Então, cada vez que tiver dúvidas ou quando seu animalzinho apresentar problemas, leve-o à um Médico-veterinário.




*ROGÉRIO CALÇADO MARTINS
– médico-veterinário – CRMV/MG 5492
*Especialista em Clínica e Cirurgia Geral de Pequenos Animais (Pós-graduação “lato sensu”)
*Membro da ANCLIVEPA (Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais)
*Consultor Técnico do Site  www.saude animal.com.br
*Proprietário da Clínica Veterinária VETERICÃO (São Sebastião do Paraíso/MG)