ATENDIMENTO SAÚDE

Vereador critica situação da Saúde em Paraíso e diz temer por interrupção no atendimento

Por: João Oliveira | Categoria: Política | 11-09-2019 09:53 | 604
Foto de Arquivo Jornal do Sudoeste

O vereador Marcelo de Morais manifestou sua preocupação com a saúde pública no município na sessão de segunda (9/9), e se diz indignado em relação ao Termo de Cooperação dos Municípios, o "Comando Único da Saúde" que, segundo ele, irá prejudicar e forçar com que a Santa Casa interrompa diversos serviços. Além disso, ele diz a Unidade de Pronto Atendimento não atende sua capacidade como deveria e isso já tem prejudicado a Santa Casa causando "estrangulamento".

O vereador teceu diversas críticas ao sistema de saúde municipal. Relatou que as USFs não têm estrutura para atender os moradores de suas localidades, o que força a população recorrer a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), superlotando os atendimentos da Unidade. Segundo ele é preciso fazer um redesenho do funcionamento da Saúde em Paraíso para que haja alguma melhora.

"Sugiro sentarmos com o prefeito Walker para fazermos um redesenho da saúde municipal, porque da foram que está não dá mais. O cidadão chega à USF e dá até dó, porque profissionais querem atender, mas não conseguem resolver o problema devido à falta de estrutura, sobrecarregando a UPA", criticou.

O vereador ressaltou que muitos atendimentos que deveriam ser prestados da UPA, estão sendo repassados à Santa Casa, sobrecarregado, por conseguinte, o Hospital. "Isso me preocupa, você tem um secretário técnico, que não informa à população quais são os ganhos com o Comando Único, ou seja, com o termo de cooperação entre os municípios", disse.

O vereador destacou dificuldades para o cidadão ser colocado no SUS Fácil, para ser transferido, por exemplo, para Passos, que é o hospital referência da rede. Criticou também outras situações, entre elas o Convênio com outros municípios para o recebimento de rejeitos sólidos no Aterro Sanitário.

A vereadora Cidinha Cerize relembrou sobre o convênio e ressaltou que em reunião envolvendo os municípios, havia a presença de representantes de cidades que não estavam inclusas do termo de cooperação e que muitos sequer assinaram.

Morais questionou detalhes sobre o Termo de Cooperação, entre eles o que é e o que mudou. "Nos foi falado uma coisa, mas o que estamos levantando é que a situação mudou de tal forma que se os envolvidos não tomarem conhecimento, a Santa Casa terá serviços fechados", destacou.

Sugeriu ainda que o secretário de Saúde fosse convocado para prestar esclarecimentos à Casa. Também requereu a Santa Casa informações oficiais sobre o Termo de Cooperação. Por fim, o presidente da Câmara aprovou os pedidos e solicitou que a Comissão de Saúde investigasse o caso de uma morte ocorrida recentemente em Paraíso.

SECRETÁRIO DE SAÚDE
O secretário de Saúde, Wandilson Bícego, por meio da assessoria de comunicação da Prefeitura, informou que o Termo de Cooperação está parado e não houve novidades e nem andamento do mesmo desde reunião promovida no Ministério Público, que contou com a participação de vereadores.

Morais fez diversos questionamento sobre o Termo de Cooperação envolvendo municípios e Santa Casa