IDEB

Escolas de Paraíso alcançam bons resultados no Ideb ano base 2019

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Educação | 16-09-2020 09:59 | 637
Escolas de Paraíso alcançam bons resultados no Ideb ano base 2019
Escolas de Paraíso alcançam bons resultados no Ideb ano base 2019 Foto de Reprodução

Os estabelecimentos escolares de São Sebastião do Paraíso apresentaram resultados considerados satisfatórios no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), ano base 2019. Tanto as escolas da rede Municipal e Estadual conseguiram atingir na maioria das avaliações indicadores dentro das metas estabelecidas e em vários casos superaram as expectativas, com resultados próximos as projeções estimadas para 2021. De maneira geral o Município acompanha a tendência de Minas Gerais que recuperou a trajetória de ofertar ensino de boa qualidade nos ensinos fundamental e médio tendo apresentado os melhores indicadores já alcançados em fluxo e proficiência.

Os dados do ano-base 2019 foram divulgados na terça-feira,15, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC). O Ideb saltou de 3,6 para 4,0 no ensino médio, sendo três décimos superior ao maior Ideb já alcançado nesta etapa de ensino, em 2011. De acordo com os resultados, a nota média padronizada, calculada a partir das proficiências de Língua Portuguesa e Matemática na avaliação nacional (Saeb) chegou a 4,76, um décimo acima da maior nota anteriormente obtida pelo estado, em 2007.

Como parte dos números históricos dessa edição do IDEB, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) destaca também o expressivo aumento da participação dos alunos do ensino médio na realização da prova, fruto de uma mobilização realizada entre Superintendências Regionais de Ensino e diretores das escolas da rede. O índice de escolas que passaram a ter Ideb- por terem garantido a participação de no mínimo 80% dos alunos na avaliação nacional - saltou de 56% para 77% das unidades escolares.

Um dos pontos mais expressivos que ajudaram Minas Gerais a conquistar esses resultados no Ideb foi a queda no abandono escolar. A partir de ações efetivas, o estado conseguiu diminuir o número de alunos que deixaram de frequentar a escola. Em 2017, a taxa de abandono era de 8,1% no ensino médio, 3,1% nos anos finais do ensino fundamental e 0,3% nos anos iniciais. Já em 2019, a taxa registrada no ensino médio foi de 5,3%, nos anos finais do ensino fundamental foi de 1,6% e, nos anos iniciais, de 0,2%.

Em relação aos estabelecimentos de Paraíso, na 4ª série/5º ano pela Rede Estadual a média foi 7,0 para uma meta de 6,5. Outro exemplo de bom rendimento nas escolas estaduais foi no 3º ano que alcançou 4,4, com meta estipulada de 4,1 e estipulada em 4,3 para 2021. Na Rede Municipal não foi diferente quando a nota obtida foi de 6,8 para a meta de 6,6 e projeção de 6,9 para o próximo ano, entre os estudantes do 5º ano.

De maneira geral a Rede Pública apresentou rendimento satisfatório quando os resultados apontam que os alunos do 5º ano obtiveram nota 6,9 para meta de 6,5 e projeção de 6,8. Na terceira série do Ensino Médio o mesmo desempenho, com nota 4,4 obtida para meta de 4,1 e projeção de 2021 em 4,3. Apenas a turma da 8ª série/9º ano, ficou aquém com avaliação 5,5 e meta de 5,8, sendo projetado 6,0 para 2021.

Ensino fundamental
Os resultados também mostram crescimento histórico na nota média padronizada dos anos finais do ensino fundamental. Em 2019, Minas Gerais alcançou 5,29, retomando a maior nota já alcançada no estado, em 2011. Já no indicador de rendimento foi alcançado 0,88, que representou uma evolução de quatro pontos percentuais em relação a 2017. Em consequência disso, o Ideb apresentou crescimento de 4,4, em 2017, para 4,6 em 2019. Com relação aos anos iniciais do ensino fundamental, em que o estado é historicamente reconhecido, o resultado foi o mesmo de 2017, se mantendo em 6,5, com a posição nacional 4º lugar entre os estados.

A participação dos estudantes do ensino fundamental no Saeb também registrou crescimento. O levantamento mostrou ainda que, nos anos iniciais, 96,08% das unidades de ensino atingiram pelo menos 80% de participação nas provas. Já nos anos finais, foi registrado 88% de participação. Em 2017, a participação nos anos iniciais havia sido de 94,35% e, nos anos finais, de 84,02%.

Os resultados obtidos foram fruto de um trabalho de melhoria da gestão com foco em aprendizagem e no apoio às boas iniciativas das comunidades escolares. Desde o início de 2019, as escolas estaduais vêm realizando ação minuciosa de gestão de informações sobre alunos, professores e turmas. A melhoria na gestão dos dados pelos diretores viabilizou campanha de busca ativa de alunos em vias de evasão, garantindo retorno de mais de 15 mil estudantes à rede estadual. Para auxílio aos alunos e àqueles que, apesar de frequência constante, apresentavam déficits de aprendizagem, foi lançado o programa de reforço escolar. Outra medida adotada foi o programa para atividades em tempo integral, juntamente com adoção de oficinas e matriz curricular em turmas seriadas o que fortaleceu a proficiência.