POLEPOSITION

De Fangio a Schumacher, os recordes de vitórias da F1

Por: Sérgio Magalhães | Categoria: Esporte | 26-09-2020 02:07 | 653
De Fangio a Schumacher apenas três vezes o recorde de vitórias foi batido em 70 anos de F1
De Fangio a Schumacher apenas três vezes o recorde de vitórias foi batido em 70 anos de F1 Foto de Reprodução

O GP da Rússia não costuma ser dos mais empolgantes do calendário da F1, mas a corrida de amanha, em Sochi, poderá ficar marcada para sempre se Lewis Hamilton vencer. O piloto da Mercedes, líder do campeonato, tem o primeiro match point para empatar com Michael Schumacher o maior número de vitória (91), um feito que o alemão ostenta desde que venceu o GP da China de 2006.

Nos 70 anos de existência da F1 apenas três vezes o recorde de vitórias foi batido. A primeira marca pertenceu a Juan Manuel Fangio que ganhou 24 corridas, a última delas no GP da Alemanha de 1957.

Fangio liderou o ranking por 16 anos (163 GPs) até que Jackie Stewart empatasse com o argentino no GP da Bélgica de 1973. Stewart ainda venceria mais duas provas, a última delas, também em Nurburgring, no mesmo ano, na Alemanha. Apesar de parecer pouco diante da avalanche de conquistas de Schumacher e de Hamilton, Stewart ainda é 8º e Fangio o 11º na lista de maiores vencedores da F1.  

Passaram-se 14 anos (208 GPs) para que Alain Prost igualasse a marca de Stewart no GP da Bélgica de 1987. E Prost encerrou a carreira com impressionantes 51 vitórias, um novo recorde que parecia condenado a permanecer pouco tempo no topo porque logo o francês se aposentou e Ayrton Senna vinha logo atrás e com muita borracha para queimar. Mas o destino abreviou a carreira de Senna, e um tal Schumacher que chorou copiosamente quando igualou as 41 vitórias de Senna, em Monza, no GP da Itália de 2000, empataria com Prost no GP da Hungria de 2001 depois de 8 anos (134 GPs). E Schumacher foi vencendo, vencendo até cruzar em primeiro pela última vez no GP da China de 2006. 

Parecia impossível alguém alcançar esta marca, mas Hamilton vem aí. Em 2014 ele igualou as 24 de Fangio e as 27 de Stewart; em 2016 as 51 de Prost, e são boas as chances de amanhã empatar com Schumacher e fatalmente se tornar recordista absoluto nas próximas corridas.  

Fangio demorou 47 dos 51 GPs que disputou para vencer 24 corridas com Alfa Romeo, Maserati, Ferrari e Mercedes. Stewart chegou às 27 vitórias com 96 das 99 corridas que participou com Owen, Matra e Tyrrell. Prost chegou às 51 com 193 dos 199 GPs com Renault, McLaren, Ferrari e Williams, enquanto Schumacher atingiu o recorde de 91 vitórias em sua 247ª das 307 participações por Benetton e Ferrari.

O GP da Rússia será o 260º da carreira de Hamilton que até aqui venceu 21 vezes com a McLaren e 69 com a Mercedes desde que chegou à equipe em 2014.

Este será o 7º GP da Rússia, onde só deu Mercedes com 4 vitórias de Hamilton, uma de Nico Rosberg e uma de Valtteri Bottas. Dos 18 lugares no pódio, 12 foram ocupados por carros equipados com motor Mercedes. Os outros seis foram todos da Ferrari com dois 2º e dois 3º lugares.

E Kimi Raikkonen deve igualar amanha outra marca expressiva da F1, os 323 GPs de Rubens Barrichello, recordista de participações na categoria.

O GP da Rússia está sendo o primeiro a receber número significativo de público nas arquibancadas com os 30 mil ingressos colocados a venda.