DENGUE

Com clima favorável, dengue volta preocupar Vigilância em Saúde em Paraíso

Por: João Oliveira | Categoria: Cidades | 26-10-2020 02:26 | 297
Foto de Reprodução

Com o clima favorável à proliferação do mosquito da dengue, a Vigilância em Saúde em São Sebastião do Paraíso tem retomado os trabalhos no combate a esta doença que, diante da situação vivida pela pandemia da Covid-19, parece ter sido esquecida pela população. Todavia, a dengue é uma realidade e a população precisa estar atenta a este inimigo que, ao contrário do coronavírus, não é invisível.

Apesar dos números baixos em relação a 2019, neste ano registrou-se casos graves da doença e a preocupação no momento é manter o controle mediante aos índices crescentes da Covid-19. Somente em 2020, já foram registrados 343 casos prováveis de dengue (casos notificados exceto os descartados). Desse total, foram 103 casos positivos, 112 negativos e 17 descartados. Nas últimas três semanas, notificou-se 13 casos suspeitos.

De acordo com a coordenadora da Vigilância em Saúde em São Sebastião do Paraíso, Daniela Cortez, agora, neste período, crescem as notificações de casos suspeitos da doença, todavia, não foram confirmados novos casos nos últimos meses, mas o medo existe, uma vez que o período é muito propício a proliferação do Aedes Aegypt.

"Outra preocupação é que, com a pandemia, não tivemos como realizar nossos trabalhos tal como realizado nos anos anteriores. Não pudemos entrar em alguns imóveis devido aos protocolos que estamos seguindo por conta da Covid-19, o que reduziu muito o nosso trabalho", destaca.

Daniela ressalta que este é o momento de incentivar a população a tomar conta dos seus quintais para ajudar no combate ao mosquito. Entre as orientações, ela destaca a importância de se olhar a caixa d"agua, calhas, e qualquer situação que resulte em água parada no quintal. "A dengue é uma doença que também mata, e neste ano tivemos casos agravados da doença, que resultou em internações e é uma doença igualmente trágica. A única forma de prevenir é combatendo o agente transmissor da doença", explica.

Para tanto, a coordenadora da Vigilância em Saúde ressalta o papel da população neste processo. "É um ano atípico e contamos ainda mais com o apoio de toda a população, em atitudes simples, como olhar o quintal, limpando os terrenos, e só assim vamos conseguir reduzir esses números. Com as chuvas agora, começaram a chegar novas notificações", comenta.

Todavia, apesar de ainda não ter sido confirmado novos casos, a Vigilância tem realizando os bloqueios com veneno e durante esta semana realizado o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes (LIRAa), cujo o resultado é importante para direcionar as ações da Epidemiologia.

"Assim poderemos focar nossas ações nas regiões mais afetadas pelo mosquito. Batemos novamente na tecla: precisamos da ajuda da população porque está sendo um ano muito difícil e é possível que enfrentemos uma epidemia da doença entre o final deste ano e começo de 2021, além da questão envolvendo a Covid-19. Precisamos do auxílio da população", completa.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), tem divulgado boletins mensais sobre a situação da doença no Estado. Segundo os números publicados em 29 de setembro, em 2020 registrou-se em Minas 82.022 casos prováveis de dengue. Desse total, 55.377 casos foram positivos, além de 11 óbitos pelo agravamento da doença. Há ainda 53 óbitos em investigação. Em relação à Febre Chikungunya, foram registrados 2.370 casos prováveis da doença, dos quais 1.386 se confirmaram e três óbitos estão em investigação.

Dengue: o que fazer para ajudar no combate
Com a pandemia, as ações da Vigilância em Saúde têm se concentrado em identificar e tentar frear o avanço da Covid-19 no município. Todavia, os trabalhado dos agentes da dengue continuam, mas com limitações, e toda a população pode auxiliar no combate ao mosquito. São simples e rápidas as ações que o cidadão pode tomar e o principal é não deixar água parada, e para isso é importante sempre verificar:

- o armazenamento e destinação do lixo, mantendo-o em recipiente fechado e disponibilizando-o para recolhimento pela Limpeza Urbana na frequência usual;

- não descartar o lixo ou qualquer outro material que possa acumular água no quintal de casa, no quintal de vizinhos, na rua ou em lotes vagos;

- verificar a caixa d´água sempre limpa e totalmente tampada e se as calhas estão livres de entupimentos para evitar represamento de água;

- eliminar os pratinhos de vasos de plantas; caso não seja possível, mantê-los limpos e escovados pelo menos três vezes ao dia;

- manter limpos e escovados os bebedouros de animais domésticos; a água deve ser trocada diariamente;

- manter piscinas sempre em uso e devidamente tratadas;

- e caso perceba a manifestação de qualquer sintoma de dengue ou febre Chikungunya, procurar imediatamente o centro de saúde mais próximo.