APC

UMA CIDADE seus sonhos

Por: Fernando de Miranda Jorge | Categoria: Cultura | 16-06-2021 10:01 | 247
Fernando de Miranda Jorge
Fernando de Miranda Jorge Foto: Reprodução

Os antigos sonhos foram bons sonhos. Eles estão se realizando. Foi bom tê-los. “Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade”, disse em versos o poeta Fernando Pessoa, e repetiu em música, o profeta de toda uma geração, Raul Seixas.

Voltemos, pois aos nossos tempos, à nossa Jacuí de hoje: se estes sonhos estão se realizando é porque muitos sonharam e sonharam juntos.

Sonhar é uma coisa interminável, nunca termina... Com os sonhos as coisas mudam, e como mudou esta cidade! Para melhor, com mãos de nossa gente que pensa que ajuda a pensar de ontem e de hoje: professores, doutores, gente humilde e simples, mas que idealizam projetos e eles são colocados em prática.

Muitos que sonharam sonhos bons, já não estão mais aqui, mas, é pensando neles que temos a exata noção do que vale a lembrança de gente que faz saudosa gente de mãos limpas e de boas intenções passado e presente.

Neste contexto histórico, sob vários aspectos, vem à lembrança o Jornalista Dídimo Paiva: “Estamos sufocados pela modernidade globalizada e parece que não ficará pedra sobre pedra”. Mas que, pra nós aqui de Jacuí foi bom sonhar venturosos sonhos, não foi?

E eis que a professora Izabel Maria Salgado Batista faz presença com memórias: “Nasci como nasceram tantos arraiais: tenro, miúdo, tímido, mas com vontade de viver. De minhas entranhas levaram ouro e outros minerais. Em meu solo abriram sulcos, plantaram casas, esperanças e fartura. Em meus mananciais, peixes, garimpeiros e crianças encontravam refrigério. Meu clima favorecia a saúde dos aventureiros, que acabavam por me adotar como sua pátria. E eu os adotava reciprocamente. Era mais uma promessa no Sertão das Gerais. Imprimiram marcas de uma personalidade forte, resistente e única. Sofri cortes em meu corpo territorial, mas resisti heroicamente. No sobe e desce de minhas ladeiras há o registro das digitais de uma gente criativa, humilde, devota, hospitaleira. Vestiram-me de luzes, com a força das minhas águas do Rio São Pedro na Usina em que “senhor João Salgado” fazia a noite virar dia.

Fernando de Miranda Jorge
Acadêmico
Correspondente da APC
Jacuí/MG – e-mail: fmjor31@gmail.com