ARANTES

Acordo da Vale é aprovado: deputado Arantes teve participação importante na votação

Cerca de R$ 1,5 bilhão será distribuído aos 853 municípios mineiros em três parcelas, sendo 40% até 31 de agosto, 30% até 31 de janeiro e outros 30% até 1º de julho de 2022
Por: Redação | Categoria: Política | 17-07-2021 00:10 | 399
Foto: Reprodução

A Assembleia Legislativa (ALMG) aprovou na quarta-feira (14/7) o Projeto de Lei 2.508/21, de autoria do Governo do Estado, que trata do acordo feito com a Mineradora Vale como forma de compensação pela tragédia em Brumadinho. O valor total de R$ 37,7 bilhões será usado na construção de hospitais regionais e em obras de infraestrutura.

Parte dele, cerca de R$ 1,5 bilhão, será repassado diretamente às prefeituras dos 853 municípios mineiros em três parcelas, sendo a primeira de 40%, até 31 de agosto; a segunda de 30%, até 31 de janeiro, e a terceira e última de 30%, até 1º de julho de 2022.

Desde que a proposta chegou à ALMG, o deputado Antonio Carlos Arantes trabalhou para sua aprovação presidindo reuniões e participando das negociações conduzidas pelo presidente Agostinho Patrus junto ao Tribunal de Justiça, ao Ministério Público Estadual e Federal, ao Tribunal de Contas e a Defensoria Pública.

Arantes definiu o momento como histórico: “Defendi desde o início o direito de todos os 853 municípios mineiros serem indenizados pelas perdas, e não só aqueles que fazem parte da Bacia do Paraopeba como estava previsto inicialmente. Graças à nossa intervenção conseguimos mudar isto. Os recursos serão distribuídos a todos os municípios de acordo com o tamanho da população”.

“Temos que ressaltar muito o trabalho e a vontade política do governador Romeu Zema e sua equipe e a união da Assembleia liderada pelo presidente Agostinho Patrus, que também teve papel fundamental, melhorando e aprovando o projeto. Eu, como vice-presidente, fiz a minha parte. Juntos estamos fazendo uma Minas Gerais cada dia melhor”, ressaltou.

Paraíso receberá R$ 5 milhões, Jacuí  e São Tomás R$ 1 milhão cada
Com a votação da PEC 68/21 e a aprovação do projeto 2.508/21 ficou determinado quanto cada município receberá. São Sebastião do Paraíso terá R$ 5 milhões que podem ser investidos em obras escolhidas pelo Executivo municipal. São Tomás de Aquino, Itamogi e Jacuí, recebem R$ 1 milhão cada.