CAMINHONEIROS

Protesto de caminhoneiros poderá ter adesão em Paraíso nos próximos dias

Por: Nelson de Paula Duarte | Editoria: transporte | 01/08/2017 | Visualizações: 1631

Em João Monlevade, caminhoneiros negociaram com agentes da PRF - Foto de Divulgação PRF

O protesto de caminhoneiros iniciado nesta terça-feira (1/8) em várias rodovias do país, contra o aumento da alíquota do PIS e Cofins sobre os combustíveis decretado pelo governo, poderá ter a adesão na região nos próximos dias. Quem admite é o presidente da Associação de Assistência aos Proprietários de Veículos Automotores de São Sebastião do Paraíso – Aaproves – Joaquim Assis de Moraes.
Em Minas Gerais a manifestação teve início na madrugada desta terça na Região Central, no km 361 da BR-381 no município de João Monlevade. No período da tarde, segundo informações caminhoneiros também estavam com veículos parados nos acostamentos, ao longo da MG 050, no município de Divinópolis, na região Centro – Oeste.
Em João Monlevade, segundo a Polícia Rodoviária Federal estava liberada a passagem de carros e ônibus. Em Divinópolis, apesar do trânsito lento, não havia bloqueio.
O presidente da Aaproves, Joaquim de Assis Morais disse que a paralisação poderá ocorrer de maneira crescente. “Estamos em alerta e devemos participar, possivelmente nos próximos dias. Vamos analisar, mas pelo lado prático já se sabe que a ideia de deixar veículos parados nas garagens, não dá resultado esperado, então o mais provável é a paralisação nas rodovias”, observa.
Joaquim Morais lembra que a nova tributação decretada pelo governo incidiu sobre os combustíveis de maneira geral (R$ 0,41 por litro de gasolina, R$ 0,21 no diesel, e R$ 0,20 no litro do etanol). “Subiu tudo, e nosso apelo pela paralisação não será dirigido apenas aos caminhoneiros, e sim para toda a sociedade, pois não apenas nós (caminhoneiros) que temos interesse que estes aumentos sejam revistos”, disse.

 

OUTRAS REGIÕES
No Km 81 da BR-050, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, a rodovia ficou interditadas às 23h50 de segunda (31). Cerca de 20 manifestantes queimaram pneus para interromper o fluxo da via. A liberação aconteceu por volta da 1h15.
Em Paracatu, no Noroeste de Minas, houve uma interdição total. Cerca de 50 manifestantes fecharam a BR-040, na altura do Km 45, na manhã desta terça (1º). A pista ficou interditada por cerca de duas horas. Houve bloqueios também em Oliveira, no Campo das Vertentes, e em Congonhas, na região Centro do Estado. 
O movimento dos caminhoneiros está sendo organizado nas redes sociais e em grupos de WhatsApp, afirma o presidente da União Nacional dos Caminhoneiros (Unican), José Araújo Silva, o China. "E, pelo que estamos vendo até agora, é um movimento bastante forte."
Além do aumento dos impostos sobre os combustíveis, os motoristas também reclamam da redução dos investimentos na melhoria das estradas. Com a delicada situação fiscal do País, o governo fez um corte radical nos investimentos, especialmente da área de infraestrutura. Dos R$ 36,1 bilhões previstos na Lei Orçamentária para este ano no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) apenas R$ 19,7 bilhões estão disponíveis. A redução total, após dois sucessivos bloqueios, chega a 45,4%.
* Com Estadão Conteúdo e Hoje em Dia.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897