CASA PRÓPRIA

Caixa reabre linha de crédito Pró-cotista para financiamento de imóveis

Pró-cotista permite aquisição de imóveis mais caros a juros menores

Por: João Oliveira | Editoria: brasil | 10/01/2018 | Visualizações: 8572

- Foto de Reprodução

Uma das linhas de crédito para financiamento da casa própria, a linha Pró-cotista foi novamente retomada pela Caixa Econômica Federal na última semana e a expectativa do setor imobiliário é de que deve haver um reaquecimento do mercado. O financiamento é voltado para os trabalhadores que tenham sido empregados por mais de 36 meses no regime de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), com taxa de juros que variam entre 7,6% a 9% ao ano, sendo esta a linha de crédito mais barata depois do programa “Minha Casa, Minha Vida”.
Conforme explica o gerente de pessoa física da agência da Caixa em São Sebastião do Paraíso, Sérgio Donizete Sousa, a dotação, cerca de R$ 4 bilhões para este ano, foi liberada no início do mês e é voltada para pessoas que tenham renda ou querem adquirir um imóvel acima da faixa “Minha Casa, Minha Vida”. “São rendas acima de R$5 mil. Para ter acesso a esta linha de crédito o requerente precisa ter no mínimo três anos de registro na carteira e esse registro precisa ter acumulado um FGTS de no mínimo 10% do valor no imóvel a ser financiado”, explica.
O gerente explica que pessoas que foram demitidas, mas tem os 10% do valor do imóvel a ser financiado na conta do FGTS, também podem se enquadrar nesta modalidade de financiamento. “Ele só não enquadra se tiver com o FGTS zerado; em outros casos, se não tiver 10%, mas estiver com registro mínimo de três anos e ativo ele também pode requerer a essa linha de crédito”, acrescenta.
O pró-cotista tem um teto de até R$ 700 mil para o financiamento do imóvel e a taxa de juros varia de 7,6% a 9%, de acordo com a situação do cliente, ou seja, se ele é cliente a taxa é uma, se não pode vir a ser outra, variando bastante conforme o perfil do cliente. “É uma taxa vinculada a fidelização do cliente, se tem conta a taxa é uma, se recebe salário na Caixa a taxa é outra, ou seja, está relacionado muito ao perfil do cliente junto a Caixa Econômica”, elucida. 
Sérgio explica que a  novidade este ano é que a dotação liberada pelo Ministério das Cidades será distribuída ao longo dos 12 meses. “Caso esse valor seja insuficiente, é necessário se fazer um novo pleito junto ao MC que levanta a demanda junto ao fundo curador do FGTS, deste modo fazendo uma nova dotação de recursos. No último ano esse recurso tinha exaurido, e não se tinha feito nova dotação, o que ocasionou a paralisação dessa linha de crédito por um determinado período”, explica.
A demanda, conforme acrescenta o gerente, depende diretamente dos correspondentes bancários, que cuidam de todo o processo relacionado e por enquanto não tem chegado muita coisa. Responsável pelo processo na Express Correspondentes Caixa, Regilaine Souza conta que a procura pela linha de crédito é muito alta e quando foi anunciado a liberação do crédito na última semana, inúmeros atendimentos já foram prestados a população.
“Está tendo muita procura. É uma faixa que pleiteia imóveis mais caros, fora da modalidade “Minha Casa, Minha Vida”, ou seja, acima de R$140 mil. Essa linha de crédito tem taxa de juros menores porque são recursos do FGTS; na mesma modalidade de financiamento tem o SBPE, mas as taxas de juros são maiores, enquanto este gira em torno de 10% ao ano, o Pró-cotista gira entorno de 8%, dependendo do relacionamento que o cliente tem com a Caixa”, explica.
Conforme Regilaine, essa modalidade é tão procurada que quando a Caixa anuncia a liberação do recurso, dentro de um mês ou dois o recurso já é esgotado e fecha até serem dotados novos recursos, como aconteceu em 2017, quando a linha crédito havia sido fechada devido a dotação de recurso ter se esgotado. “Até o momento não há nenhuma normativa de como será a taxa de juros ou a partir de quando será liberado os recursos, mas assim que foi noticiado a abertura da linha de crédito, começamos a ser muito procurados”, ressalta.
No último ano ela comenta que a busca também foi bastante alta. “Liberou o recurso duas vezes no ano e dentro de um mês a um mês e meio já havia acabado o recurso e fechado essa linha de crédito, sobrando apenas à outra modalidade de financiamento”, completa.


REDUÇÃO
Apesar do valor disponibilizado para a linha este ano ser de R$ 4 bilhões, o valor é ainda menor que recurso disponibilizado em 2017, que foi de R$ 6,1 bilhões. No ano passado a linha Pró-Cotista havia sido suspensa em junho após todo o recurso disponibilizado para 2017 ter sido utilizado. 
Foi também no ano passado que o banco reduziu para 50% do valor do imóvel usado o limite máximo de financiamento. Até então, era possível financiar 60% ou 70% do montante dependendo do tipo de linha de crédito contratada.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897