GINÁSTICA AERÓBICA

Atleta de Paraíso vai disputar o Sul-americano de ginástica aeróbica

Aos 19 anos, a ginasta Flávia Aizza foi convocada para representar o Brasil no campeonato continental, que acontece em Aracaju no próximo mês
Por: Ralph Diniz | Categoria: Esporte | 11-05-2024 06:01 | 2490
A jovem atleta paraisense é cria do Circo Social, projeto dos pais Denis Tavares e Regiane Aizza
A jovem atleta paraisense é cria do Circo Social, projeto dos pais Denis Tavares e Regiane Aizza Foto: Divulgação

Em uma trajetória que desafia as normas convencionais da modalidade esportiva, Flávia Alessandra Aizza Tavares, de apenas 19 anos, transformou suas aspirações em realidade ao ser convocada para integrar a seleção brasileira no próximo Campeonato Sul-americano de Ginástica Aeróbica. A competição, que será realizada em Aracaju no mês de junho, marcará a primeira vez que a atleta de São Sebastião do Paraíso representará o País em um evento internacional.

Atleta da ADIEE/UDESC de Florianópolis, Flávia não esconde a emoção desse momento: "É a primeira vez que fui convocada para a seleção. Sempre foi algo que quis muito. Ver meu nome lá, não tem preço, é muito bom," relata com entusiasmo.

Sua jornada no mundo da ginástica começou de maneira incomum. Influenciada pelo "Circo Social", um projeto de seus pais Denis Tavares e Regiane Aizza, ela deu suas primeiras acrobacias ainda criança. Porém, só se tornou atleta de fato aos 13 anos, quando começou a praticar ginástica rítmica. "Comecei tarde na rítmica, que era o que tínhamos em Paraíso. Em 2019, uma professora de Franca me convidou para treinar lá," conta Flávia.

A pandemia de covid-19 trouxe desafios, mas também oportunidades. Flávia continuou treinando online com a professora Andressa Barbosa e, em 2021, foi convidada para passar um mês treinando em São José, cidade vizinha a Florianópolis. Esse período foi decisivo para sua carreira, pois lá ela conheceu o clube ADIEE/UDESC, que viria a se tornar sua nova casa. "Passei um mês aqui, me interessei, e no ano seguinte minha família e eu decidimos que eu iria me mudar para cá," explica.

Inicialmente focada na ginástica rítmica, Flávia percebeu uma nova paixão em 2022. "No ano passado pedi para entrar na aeróbica, e desde então me dedico exclusivamente a ela," diz. A transição foi desafiadora, especialmente por ela já competir na categoria sênior desde o início. "É incrível ver o quanto evoluí para quem começou no esporte há pouco tempo. É surreal," reflete sobre sua evolução.

No Campeonato Sul-americano, Flávia disputará nas provas individual, trio e aerodance, esta última com oito meninas. Além disso, ela tem a perspectiva de competir no Pan-Americano no final do ano, embora a participação ainda dependa da disponibilidade de vagas para o País.

Sua técnica, Maria Helena Kraeski, é um pilar fundamental nessa jornada. "Ela acredita muito em mim, até mesmo quando eu não acredito," compartilha Flávia, destacando a importância do suporte recebido. A ascensão de Flávia no mundo da ginástica é um testemunho da resiliência e paixão. Apesar de ter começado mais tarde que muitos de seus colegas, sua dedicação e o apoio do clube transformaram o potencial em excelência esportiva. "É uma coisa que não dá para imaginar, como que uma pessoa consegue evoluir nisso?" questiona ela, ao comparar fotos antigas com as atuais, notando uma notável melhora em sua consciência corporal.

Com os olhos fixos no futuro, Flávia está ansiosa para competir e mostrar ao mundo o resultado de anos de treinamento intenso e dedicação. A ginasta de Paraíso é mais do que uma promessa; é a concretização de um sonho que reflete o espírito indomável de superar obstáculos e alcançar novos patamares. "Estou muito feliz e muito contente, esperando bons resultados. O esporte que me encantou desde o começo é muito difícil, mas ver o quanto evoluí é incrível," conclui a jovem atleta, pronta para levar sua paixão e habilidade para o cenário sul-americano. Com sua convocação, Flávia Aizza não apenas eleva seu próprio nome, mas também traz esperança e inspiração para muitos jovens atletas que sonham em seguir seus passos.

Flávia Alessandra Aizza Tavares tem 19 anos e vai representar o Brasil pela primeira vez em junho